Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider

Parceria cearense com Porto de Roterdã em fase decisiva

DIÁRIO DO NORDESTE, FORTALEZA, 06/09/2017.

O governador do Ceará, Camilo Santana, receberá na próxima quarta-feira (13) o CEO do Porto de Roterdã, Allard Castelein, para definir questões ligadas à parceria entre a Companhia de Integração Portuária do Ceará (Cearáportos) e a empresa holandesa, que deverá ser firmada até o fim deste ano. A reunião ocorrerá durante almoço no Palácio da Abolição, em Fortaleza. Dois dias após o encontro, o chefe do Executivo estadual segue para a China em outra investida no mercado externo, onde assinará memorando de entendimento com o Banco de Desenvolvimento Chinês visando à construção de uma refinaria de petróleo no Estado.

"O Porto de Roterdã é uma espécie de grife. É o maior da Europa e um dos melhores do mundo. A credibilidade e a imagem que o porto tem está fazendo com que várias empresas queiram vir ao Ceará por conta de Roterdã. Daqui a dez anos ou 20 anos, o Ceará será outro com essa parceria com Roterdã, algo que estamos construindo em médio e longo prazo", afirmou o governador.

Camilo já enviou à Assembleia Legislativa do Ceará, no último dia 11 de agosto, mensagem pedindo que os deputados aprovem a inclusão do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp) na parceria entre a Cearáportos e o Porto de Roterdã. Além disso, o governo também quer modificar a legislação que trata da atuação da Companhia Administradora da Zona de Processamento de Exportação (ZPE) Ceará e mudar a denominação social da Cearáportos para Complexo Industrial e Portuário do Pecém S.A. (Cipp S.A.). A expectativa é que a matéria seja votada ainda nesta semana.

De acordo com Camilo, entre as questões que serão definidas no próximo dia 13 com Allard Castelein, está o percentual de participação de cada empresa no Porto do Pecém. Com a gestão compartilhada do terminal, a expectativa é que a Cearáportos fique com 90% e o Porto de Roterdã com 10%. Mas o governador quer que a fatia do Porto de Roterdã seja maior, de 20%, e o Estado fique com 80%.

"O percentual que Roterdã vem defendendo é de 10%. Nós queremos 20%. Mas isso é algo a ser acertado. Todos os recursos financeiros obtidos com a parceria serão para fazer investimentos no sentido de modernizar o Estado", acrescentou Camilo, observando que reuniões permanentes entre o governo estadual e o Porto de Roterdã vem ocorrendo deste o início deste ano, com o cronograma rigorosamente em dia.

Seguindo esse cronograma, o titular da Secretaria do Desenvolvimento Econômico do Ceará (SDE), César Ribeiro, está em Lisboa, em Portugal, para reuniões com executivos do Porto do Roterdã.

"Estamos definindo os últimos detalhes. Essa aproximação e essa validação de alguns itens entre o governador Camilo e o CEO Allard Castelein é importantíssima", disse o secretário Ribeiro recentemente ao jornal Diário do Nordeste.

Conforme ele, as últimas reuniões estão mais relacionadas a assuntos operacionais do Porto do Pecém, como valorização dos espaços, movimentação de cargas e constituição da nova empresa. "Estamos muito otimistas, por tudo que o Porto de Roterdã fez nos outros portos onde também firmou parceria".

As reuniões das quais César Ribeiro participa em Lisboa seguem até sexta-feira (8) e são consideradas decisivas para o processo de consolidação da parceria. O presidente da Cearáportos, Danilo Serpa, também participa da agenda.

O governador lembra do esforço que vem sendo feito pelo Estado para a implantação de uma refinaria na ZPE Ceará. "Vou no dia 15 à China para assinar esse memorando de entendimento com o Banco de Desenvolvimento Chinês, que vai bancar o financiamento da nossa refinaria", destacou, dizendo que estará viajando a convite do presidente da instituição financeira, Zheng Zhijie.

No fim do ano passado, o governador também assinou na China memorando de entendimento com a multinacional de petróleo Guangdong Zhenrong Energy para realização de estudo sobre o projeto da refinaria do Ceará. Avaliado em US$ 4 bilhões, o empreendimento está incluído no acordo Brasil-China, assinado ainda em 2015.

Como já previsto pelo governador, a estimativa é que o empreendimento gere em torno de 10 mil empregos na fase de construção e 8 mil postos de trabalho diretos e indiretos. A previsão é que a refinaria pensada para o Estado produza cerca de 300 mil barris por dia.

"A assinatura do memorando de entendimento já dá o sinal verde de que existem recursos disponíveis para o financiamento da refinaria. Depois, vamos esperar apenas a decisão da empresa chinesa que pretende fazer parte desse projeto no Ceará", explicou Camilo Santana.