Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider

Governo do Estado rescindiu o contrato com construtora da ZPE em Cáceres

POPULAR ONLINE, MATO GROSSO, 03/08/2017.

A Assessoria de Comunicação do deputado doutor Leonardo (PSD), confirmou na manhã desta quinta-feira, 3, que o estado rompeu o contrato com a empresa Primus Incorporação e Construção para a construção da Zona de Processamento e Exportação (ZPE) por esta não ter apresentado o seguro garantia, o que assegura a conclusão da obra.

'Já tomamos conhecimento e buscamos todas as informações junto a Secid, sobre o fato ocorrido. Acontece que a empresa não apresentou o contrato de seguro garantia e por prudência, o Governo do Estado decidiu rescindir o contrato. Essa medida de segurança é para garantir a qualidade e efetivação das obras da nossa ZPE. Não podemos deixar que após tantos anos de espera, perdemos a nossa tão sonhada obra. Garanto a vocês que estamos buscando todos os meios possíveis de chegar ao bom entendimento para que Cáceres não seja prejudicada. A empresa Primus tem um prazo para apresentar o seguro garantia e esperamos que ela faça o quanto antes, para que as obras retome a sua execução', disse o deputado em nota.

A Primus Incorporações foi reconhecida pela Secretaria de Estado de Cidade (Secid) com força de liminar em abril, porém, 90 dias depois ainda não apresentou o contrato com a segurada.

A proposta apresentada pela Primus fixou o valor da obra da ZPE em mais de R$ 15,3 milhões. R$ 15.392.234,14, pode ser o valor inicial do calote que o Estado pode sofrer diante desta licitação com a Primus, que até o momento não encontrou uma seguradora que aceitasse firmar um contrato com uma empresa que possui insegurança no mercado de construções.

A Primus Incorporadora foi considerada a vencedora da licitação da obra da ZPE, pela Justiça que acatou o mandado de segurança impetrado pela construtora e magistrada suspendeu os efeitos de decisão administrativa da Secid que havia desclassificado a empresa no processo licitatório, iniciado em dezembro de 2016.

Conforme informações levantadas pelo site pela fonte na Capital, a empresa Primus faz parte do mesmo grupo da empresa Engeglobal, cujo os sócios são familiares do deputado Federal Fábio Garcia (PSB).