Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider

Governo culpa falha em projeto por atraso nas obras da ZPE de Cáceres

JORNAL OESTE, MATO GROSSO, 02/08/2017.

Sinézio Alcântara

 

Uma falha de engenharia irá atrasar ainda mais a implantação da Zona de Processamento de Exportação – ZPE de Mato Grosso, que será instalada em Cáceres. Lançada no dia 6 de maio, pelo governador Pedro Taques, a primeira etapa da obra estava prevista para ser concluída, em um ano. Porém, um erro no projeto, atrasou o cronograma da obra. A construtora Primus Incorporação e Construção Ltda., vencedora do processo de licitação, está refazendo todo serviço de topografia e terraplanagem da área porque o local estava abaixo do pavimento asfáltico da rua.

“Perdemos 60 dias fazendo a correção do projeto, por isso requeremos mais dois meses para cumprir o cronograma e entregar a obra no tempo previsto de um ano” informou na semana passada, o engenheiro Pedro Júnior, aos secretários Wilson Santos (Cidades), Carlos Avalone (Desenvolvimento Econômico) e ao prefeito Francis Maris Cruz. O empreendimento é aguardado há cerca de 30 anos como forma de atrair investimentos de diversos segmentos para Mato Grosso.

A primeira fase das obras tem valor inicial previsto de R$ 16 milhões, montante já garantido pelo Governo Estadual. A área total é de 239,68 hectares e será dividida em cinco módulos. O espaço terá capacidade de abrigar 230 indústrias, principalmente das áreas de agronegócio e alimentação.

Apesar da preocupação, os secretários Carlos Avalone e Wilson Santos, minimizaram o atraso. “Essas dificuldades são normais” afirmou Avalone. Santos salientou que “essa demora é plausível” e que, até no final de agosto, os erros já estarão corrigidos e será dado início às obras de fundação. Serão construídos na primeira fase o prédio administrativo, um restaurante, o bloco da Receita Federal, um pátio de manobra, além da guarita principal de pedestre, guarita principal de veículos, guarita secundária de veículos e um galpão.

Também estão previstas a construção da rede de água, uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), drenagem, além de estações elétricas.

Presidente da Associação da Zona de Processamento de Exportação (AZPEC), o produtor Pedrinho Lacerda, reafirmou que existem, pelo menos, 19 empresas interessadas a se instalarem no distrito industrial. As ZPE’s são distritos industriais que possibilitam a comercialização de mercadorias com isenção fiscal. A escolha de Cáceres para a construção da zona aduaneira deve-se à localização estratégica, que possibilita o transporte dos produtos via Oceano Pacífico. O projeto total da Zona de Processamento de Exportação de Cáceres está orçado em R$ 60 milhões.